quarta-feira, 28 de março de 2012

Jornal Daqui antecipou desfecho do caso "Chiquinho Despachante"


Em 2010, reportagem do jornal informava que Francisco Santos Filho havia sido assassinado na região da Lagoinha pelo Cabo Melo


Com a prisão do major Laércio Soares Melo (Cabo Melo), a polícia está  certa de ter elucidado o desaparecimento de Francisco Santos Filho, o "Chiquinho Despachante", confirmando informação dada com exclusividade pelo Daqui. O delegado Rodrigo Bossi de Pinho, da Delegacia Especializada de Homicídios de Belo Horizonte, afirmou que Chiquinho foi executado pelo militar, a quem considera psicopata. Segundo Pinho, ele é suspeito de matar mais 20 pessoas, sempre por motivo torpe. 
O caso começou a ser esclarecido depois do encontro de uma ossada humana na comunidade de São João, próximo a Lagoinha, zona rural de Montes Claros. Exame de DNA confirmou ser do despachante.  Em junho de 2010 fonte da Polícia Civil - que pediu anônimato - garantiu ao Daqui que Chiquinho Despachante fora assassinado exatamente no local onde recentemente a ossada foi localizada. Na época, o policial civil, que trabalhou ativamente nas investigações, revelou que "celulares que estavam com a vítima ´subiram` a serra e não desceram”, acrescentando não ter dúvidas da participação do militar. Dos 4 aparelhos rastreados, 3 pertenciam a Chiquinho Despachante e um ao policial, que era amigo da vítima, mas lhe devia dinheiro. A dívida foi o motivo do assassinato. 
Outra vítima de Cabo Melo confirmada é o comerciante Gilberto Martins, ocorrido em junho de 2003, em circunstâncias muito parecidas. Martins saiu com seu  algoz em um Kadett, portando R$ 5 mil. Nunca mais apareceu. O policial voltou com o veículo, dizendo que o recebeu num negócio realizado com Gilberto Martins, que teria sido deixado por ele no centro de Montes Claros. Chiquinho, ele informou ter deixado num bar da Avenida Sanitária. Também era “amigo” da vítima. 
Quase 9 anos depois, por acaso, numa conversa com um conhecido que não via há muitos anos, a esposa de Gilberto Martins recebeu a informação de que havia sido enterrado, no cemitério de Urucuia, região Noroeste de Minas, no dia 2 de julho de 2003, um cadáver carbonizado, aparentemente morto com um tiro na nuca. O corpo foi encontrado jogado no quilômetro 86 da MG 402. Exame de DNA identificou a ossada como sendo do seu marido. Entre os muitos crimes dos quais é suspeito, constam dois homicídios em Januária e São Francisco. 
O militar já havia sido indiciado pela Polícia Civil por estelionato, falsidade ideológica e apropriação indevida de bens de Chiquinho Despachante, como um carro e uma casa. Frio e calculista, em recente entrevista para uma emissora de tevê, ele disse que era (sic) amigo do despachante. E tranquilizou sua família, garantindo que ele reapareceria antes das eleições de 7 de outubro. Segundo as investigações, o militar conquistava a confiança da vítima, abria um negócio com ela e depois a matava. Para o advogado Júlio Antônio Canela, que defende o suspeito, não há provas nem materialidade dos crimes.
O caso -  Francisco Santos Filho desapareceu no dia 30 de dezembro de 2009, quando foi para o Sítio São João, na região rural de Lagoinha, em Montes Claros. Ele estava em companhia de Laércio Soares Melo. Antes de sair, o despachante recebeu um telefonema. Disse à esposa, Elenice Barbosa Santos, que havia combinado com a pessoa receber um dinheiro, provavelmente referente à venda de uma Pajero feita ao Cabo Melo.

domingo, 7 de novembro de 2010

Blog com novo endereço!

Com novo layout o blog Em cima da notícia toma status de site, e pode ser acessado pelo endereço: www.emcimadanoticia.com

domingo, 10 de outubro de 2010

Após as eleições prefeito volta com seu saco de maldades

Montes Claros só paga a partir de 2ª e vai até o dia 21

Depois das eleições que acabou elegendo o filho do prefeito, a Prefeitura de Montes Claros, alega que está encontrando dificuldades para quitar sua folha de pagamento, inchada com cerca de 10 mil funcionários, a metade deles contratada, sendo que a maioria absoluta pelo atual prefeito. Segundo o jornal Estado de Minas, o prefeito Luiz Tadeu Leite (PMDB) admitiu as dificuldades financeiras e anunciou que o pagamento referente ao mês de setembro será iniciado apenas na próxima segunda-feira, 10º dia útil. Normalmente, empresas e outros órgãos públicos depositam os salários até o quinto dia útil de cada mês. Pela escala de pagamentos, servidores da educação recebem na segunda-feira, os da saúde no dia 18 e os dos demais em 21 de outubro.

Ás vésperas do primeiro turno das eleições, a prefeitura pavimentou ruas e inaugurou outras obras. Porém, Tadeu Leite procurou afastar qualquer vinculação entre o atraso do pagamento do salário de setembro e qualquer "sacrifício" das contas da prefeitura com gastos para favorecer candidatos ligados à administração municipal. O prefeito apoiou a candidatura a deputado estadual de seu filho Luiz Tadeu Leite Martins (Tadeuzinho), do PMDB, eleito com 56.898 votos. Ele recebeu 20.692 votos em Montes Claros, onde o majoritário foi o deputado estadual reeleito Gil Pereira (PP), com 29.087. Gil é casado com a vice-prefeita Cristina Pereira (PP), que está em processo de cisão com o titular. Durante o período eleitoral, ela se afastou da administração para atuar nas campanhas do marido e do governador Antonio Anastasia (PSDB).

Para deputado federal, Tadeu Leite apoiou o empresário Wilson Cunha (PMDB), o quarto mais votado na cidade, com 16.787 votos. No geral, Cunha teve 47.689 votos e não conseguiu se reeleger. Setores da administração municipal também apoiaram o deputado Saraiva Felipe (PMDB), que recebeu 4.485 votos (o oitavo mais votado no município) e passa a ser o único representante da Região Norte de Minas na Câmara Federal.

O prefeito alega que a situação não é nova. Devido às dificuldades financeiras, há algum tempo a prefeitura não consegue fazer o pagamento dos seus servidores até o dia quinto útil, tendo que esperar o recebimento das primeiras parcelas do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) e do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), depositadas no dia 10 de cada mês, disse. "Essa situação vem ocorrendo há pelo menos cinco meses, por causa da queda das receitas. Não tem como relacionar isso com os gastos na campanha política. Até achamos que os candidatos apoiados pela administração podem ter perdido votos por causa desses problemas que estamos enfrentando", sustenta Tadeu Leite.

O prefeito admitiu que chegou a haver ameaça de o pagamento do salário de setembro atrasar ainda mais do que o dos meses anteriores. "Mas, conseguimos equacionar o problema e vamos fazer o pagamento a partir de segunda-feira, dia 11". O prefeito disse ainda que até o final do ano, "a prefeitura terá que tomar medidas para adequar as despesas à realidade". Disse que a meta é fazer um esforço para cortar outros custos, a fim de evitar o desemprego em massa. Mas não deixou claro se haverá demissões.

domingo, 8 de agosto de 2010

Dengue já matou 72 pessoas em Minas Gerais




Duas mortes por complicação da doença ocorreram na última semana

Flórence Couto - Repórter - 14/04/2010 - 18:52

MAURÍCIO DE SOUZA

Moradores do Bairro Felicidade fizeram manifestação contra a dengue nesta quarta

Duas mortes por complicações de dengue foram registradas na última semana em Minas Gerais, subindo para 17 o total de óbitos pela doença – incluindo outros nove por complicação e seis por febre hemorrágica. As últimas vítimas são de Divinópolis e Bom Despacho, na Região Central do Estado. Estas 17 mortes representam 70,83% das registradas no ano passado inteiro.
A situação preocupa Belo Horizonte. Tanto que a prefeitura realiza durante toda esta semana a 'Operação Pente Fino' de combate à dengue no Bairro Jardim Felicidade, Região Norte da capital. Nesta quarta-feira (14), um cortejo fúnebre percorreu as ruas do bairro.
A ação contou com o apoio da equipe do Mobiliza SUS, da Secretaria Municipal de Saúde, e dos agentes comunitários de saúde, dos agentes de combate a zoonoses, alunos das escolas do bairro e populares. Na quinta (15) e na sexta-feira(16), as equipes vão panfletar no bairro, chamando a população para participar do mutirão de limpeza na segunda (19).
O balanço da dengue foi divulgado nesta quarta-feira (14) pela Secretaria de Estado de Saúde (SES), que também apontou que o número de casos da doença cresceu 14% na última semana em Minas, chegando a 98.315 notificações. No dia 6 de abril, o número era de 86.189.
As notificações dos casos tendem a ser maiores do que os registrados no ano passado, já que agora estão circulando no Estado, pela primeira vez, três tipos do vírus da dengue simultaneamente. A comprovação foi feita pela Fundação Ezequiel Dias (Funed), por meio dos exames de isolamento viral.
“Quando temos mais sorotipos circulando, maior o número de casos. Além disso, ocorre o aumento da gravidade, porque quando uma pessoa pega a dengue mais vezes, a tendência é que a doença se desenvolva de forma mais grave”, alertou Kauara Campos, referência técnica estadual em dengue.
O sorotipo 4 ainda não entrou no Brasil, apesar de haver registros de circulação desse vírus em cidades que fazem fronteira com o país. Não há ainda a comprovação de qual dos sorotipos é o mais grave.
Dos casos registrados no Estado, 39 foram de dengue hemorrágica, sendo que, desse grupo, seis pessoas morreram. Os óbitos foram registrados em Arcos, Frei Inocêncio, Belo Horizonte, Paraopeba, Vespasiano e Nova Lima.
Além dessas mortes, ainda estão sendo investigadas outras 34: seis em Belo Horizonte, cinco em Carangola, duas em Bom Despacho e em Luz, uma em Itaú de Minas, Martinho Campos, Contagem, Arcos, Ponte Nova, Caeté, Montalvânia, Itamarandiba, Paracatu, Ribeirão das Neves, Pitangui, Resplendor, Córrego Dantas, Coronel Fabriciano, Betim, Dores do Indaiá, Rio Casca, Timóteo e Ituiutaba.
Também foram notificados 109 casos de dengue por complicações, sendo que 11 resultaram em óbitos, ocorridos em Betim (2), e Martinho Campos, Arcos, Lavras, Moema, Bom Despacho, Salinas, Divinópolis e Coroaci.
Belo Horizonte, Betim, Montes Claros, Carangola e Unaí são as cinco cidades com maior número de casos notificados no Estado. A capital apresentou 20.326 casos, representando 66,9% do total em Minas Gerais. Em comparação com o balanço apresentado no dia 6 de abril, o número de casos de dengue em Belo Horizonte cresceu 10,36%. No balanço anterior foram registradas 18.418 notificações.
Em Carangola, na Zona da Mata, a quantidade de casos de dengue aumentou 5,1% em apenas uma semana, passando de 3.246 para 3.413. Em virtude disso, a Secretaria de Estado de Saúde informou que foi enviado ao município o “equipamento de ultra baixo volume”, conhecido como fumacê. Além disso, técnicos de referência do Programa de Controle da doença seguiram para o município para orientar as ações de combate.
Segundo a assessoria de imprensa da SES, até o momento, 54 municípios estão em estado de alta transmissão. Divinópolis, Luz, Iguatama, Curvelo, Buenópolis, Pompéu e Paraopeba já solicitaram a força tarefa e estão com ações programadas.
As demais cidades que necessitarem de reforço podem solicitar à secretaria. Além desses critérios, a SES irá avaliar também se a transmissão é recente e qual a necessidade de agentes por município.

terça-feira, 22 de junho de 2010

Câmara efetiva servidor sem concurso

A Câmara Municipal de Montes Claros efetivou três servidores sem concurso público. A vice-presidente da casa, vereadora Rita Vieira (DEM), aproveitou um projeto que alterava os níveis salariais do legislativo para apresentar, na última terça-feira uma emenda que transforma os cargos de assessor legislativo assessor de imprensa e assistente legislativo em cargos de provimento efetivo e determina no seu parágrafo 1° que os atuais ocupantes, com mais de cinco anos, sejam efetivados nas funções. Os salários do assessor e assistente legislativo são atualmente de R$ 3,4 mil cada, enquanto do assessor de imprensa é de R$ 2,2 mil. (...)
A vereadora autora do projeto foi procurada, mas ela não compareceu ao gabinete.
O vazamento da informação sobre a aprovação deste projeto com a emenda inconstitucional gerou polêmica na Câmara Municipal. Os aprovados em concursos públicos teriam desistido dos cargos e a emenda da vereadora beneficia os não concursados. O fato surpreendeu o Ministério Público, que está investigando o caso. Ontem pela manhã, o presidente da Câmara Municipal, Athos Mameluque, lamentou a polêmica e salienta que o projeto que redistribui de cinco para oito os níveis salariais deverá ser sancionado, com exceção da emenda de efetivação, apesar de salientar que o modelo adotado pela vereadora foi o mesmo usado pelo governador Aécio Neves para efetivar os contratados.
O mais curioso é que a emenda aprovada pelos vereadores atropelou todas as regras jurídicas: não passou pelo crivo da Comissão de Constituição e Justiça (...).
A explicação é de que a emenda deu entrada no momento em projeto vinha sendo votado em regime de urgência. Os três membros da Comissão de Constituição e Justiça teriam alegado que precisavam de mais tempo para apreciarem a emenda. Porém, como o projeto tinha que ser aprovada na mesma reunião, a emenda foi colocada em votação sem o parecer da legalidade.
Fonte: Hoje em Dia

sexta-feira, 21 de maio de 2010

Celebração homenageia os mártires do campo brasileiro

Envolto em um cenário místico e tendo o céu do semiárido como testemunha, camponeses, indígenas, quilombolas, ribeirinhos, agentes pastorais e religiosos de todas as partes do país, iluminaram a noite de Montes Claros (MG), com as chamas de velas e tochas. Empunhavam estandartes com imagens daqueles que nos últimos anos morreram na luta por uma “terra sem males”, em defesa da vida, da terra, da água e dos direitos humanos. A noite desta quarta-feira, dia 19, relembrou os mártires da terra, e levou mais de mil pessoas às ruas da cidade mineira.
A celebração dos mártires foi um dos momentos mais emocionantes do III Congresso Nacional da CPT. Teve início na tenda dos Mártires, no interior do colégio São José Marista, onde os participantes fizeram suas orações, cantaram músicas da luta camponesa, além de destacar a esperança dos mais diversos povos e culturas, que carregam a cruz dos trabalhadores em prol da resistência.
Durante a caminhada, as pessoas percorreram 2 km, passando pelos bairros de Roxo Verde, Santa Rita e Morrinhos e, por onde passavam, chamavam a atenção da população local. Ao todo foram seis paradas: cada uma refletiu as ações de resistência e defesa dos biomas da Mata Atlântica, Cerrado, Pampa, Amazônia, Pantanal e Caatinga, discutidos durante o Congresso, além de rememorar os mártires que tombaram na luta contra o latifúndio e o agronegócio em cada bioma.
Segurando um cartaz “Sei que vivo no coração dos que lutam pela liberdade”, a agricultora Maria Senhora, de 69 anos, moradora do assentamento Nova Conquista no Espírito Santo, se emocionou ao relembrar a história do assassinato do líder sindicalista rural Verino Sossai, morto em 1989, na luta contra o latifúndio no estado. A camponesa, que lutou junto com Verino pela conquista do assentamento, onde vive há 23 anos, afirma não desanimar com tanta violência no campo. “Lutamos muito para conquistar nossa terra. Enquanto eu estiver viva, vou lutar no meio do povo”, ressaltou.
Assim como Verino, foram relembrados e homenageados, ao longo da caminhada: Irmã Dorothy, Pe. Josimo, Gregório Bezerra, Zé de Antero, Vilmar, Ribamar, Sebastião Lan, João Canuto de Oliveira, Paulo Fontelles, Chico Mendes, Margarida Alves, Frei Tito, Joaquim das Neves, Saturnino, Dom Matias, Jussara Rodrigues, Luiza Ferreira, Zumbi dos Palmares, além de tantos outros, inúmeros lutadores e lutadoras do povo, de cada parte do Brasil.

Para a engenheira agrônoma Heloísa Amaral, integrante da CPT Alagoas, a caminhada foi muito produtiva para conhecer ainda mais os sinais de morte do atual modelo de produção e as ações de resistência dos povos do campo. “Confesso que achei a caminhada lindíssima porque foi muito significativa, além de ter sido bem estruturada, trabalhando realmente cada bioma. E foi feito o resgate da luta dos mártires, além de dizer o que está acontecendo de errado e o que está sendo construído para melhorar”, ressaltou.
A cerimônia também foi marcada pela leitura da Nota Pública e de repúdio, assinada pelos participantes do Congresso, sobre a notícia de que Taradão, um dos acusados de ser o mandante do assassinato da irmã Dorothy Stang, foi solto após 18 dias depois de ter sido condenado a 30 anos de prisão pelo crime. O encerramento do ato político-religioso ocorreu em frente à Igreja Nosso Senhor do Bonfim, na Praça dos Morrinhos, com muita música e a partilha do licor de pequi, fruto típico do cerrado.
Fonte: CPT

sábado, 15 de maio de 2010

Aliado do prefeito denuncia: crianças estão sendo pesadas em sacolão

O vereador Alfredo Ramos (PT), aliado do prefeito, anda batendo no cocho para dizer que é independente. Mas, lamentavelmente, anda atrelado com o caloteiro prefeito de Montes Claros. Agora mesmo, ele critica o que todo mundo já sabe que a saúde na cidade está morta porque é tratada por um legista. Segundo o vereador - que tem dezenas de indicados com cargos na Prefeitura -, no Bairro Renascença o centro de saúde não dispõe sequer de balança e as crianças e estão sendo pesadas em um sacolão próximo à unidade de saúde. Não basta discursinho para a platéia, é preciso ação partidária. O PT de Montes Claros - por causa de meia dúzia de oportunistas - é cúmplice deste desgoverno. Enquanto estiver falando amém, ninguém da turma da boquinha tem moral para criticar.

sexta-feira, 7 de maio de 2010

Estudante baiana com suspeita de dengue hemorrágica morre em Montes Claros

Rubens Santana - Repórter O Norte

Para demonstrar às autoridades competentes que a saúde na maior cidade do Norte de Minas está literalmente doente, uma jovem de 21 anos com suspeita de dengue hemorrágica morreu na madrugada de ontem, quinta-feira, no hospital Aroldo Tourinho em Montes Claros. Nayane Lima de Castro era natural da cidade de Carinhanha, Bahia, e estudava Educação Física em Montes Claros. Ela morreu por volta das 04h30 da madrugada.

REPRODUÇÃO
Nayane Lima de Castro, que morreu com suspeita de dengue hemorrágica, se formaria neste ano.

Informações preliminares repassadas por familiares dão conta de que a estudante havia sido internada na Santa Casa por volta das 10h da manhã de quarta-feira, 05, após se sentir mal durante um churrasco da turma da faculdade. Nayane se formaria neste ano.

Segundo familiares e amigos, o médico plantonista descartou a possibilidade de dengue e diagnosticou que Nayane Lima tinha sinusite. Muitos amigos, colegas de faculdade e a família se uniram para compartilhar a dor e a indignação com o descaso na saúde em Montes Claros. Com a medicação para sinusite, o quadro da estudante se agravou e ela foi transferida para o CTI do hospital Aroldo Tourinho por volta da meia-noite.

Ainda segundo os familiares, a estudante deu entrada no CTI com choque hemorrágico. Para os familiares, a causa da morte de Nayane teria sido dengue hemorrágica.

A assessoria de comunicação do hospital Aroldo Tourinho em nota afirma que vai esperar o resultado dos exames para afirmar se a causa da morte da estudante foi ou não dengue hemorrágica. Já a assessoria de comunicação da Santa Casa disse que encaminhou o caso para a ouvidoria e só depois irá se manifestar oficialmente sobre o assunto. O corpo será enterrado amanhã, em Carinhanha.

NEGLIGÊNCIA?

Um amigo da estudante que preferiu não se identificar mandou correspondência eletrônica para O NORTE afirmando que a estudante passou mal no sábado, 1º, e foi atendida na Santa Casa no domingo, 02, onde o médico receitou amoxilina e um anti-alérgico. Nayane voltou para o apartamento onde morava, na frente da agência do banco Bradesco, Centro de Montes Claros. Ainda segundo a fonte, o estado de saúde da universitária ficou estável durante o domingo e segunda-feira, 03, porém, sem apresentar melhoras. Na terça-feira à noite, 04, Nayane desmaiou no banheiro da casa, mas teve uma pequena melhora. Por volta das 10h de quarta-feira, 05, ela retornou ao pronto-socorro da Santa Casa, contudo, não havia vaga no CTI. A vaga surgiu às 2h40m de quinta-feira, 06, quando ela foi transferida para o hospital Aroldo Tourinho. Às 04h30 ela morreu.

terça-feira, 4 de maio de 2010

PT VIROU SUJEIRA

*por Maicon Deivison Pinto Tavares
maicon_ptavares@hotmail.com

Não é mais surpresa geral que o Partido dos Trabalhadores (PT) virou um “lixo”. Os próprios militantes brigam entre si e jogam totalmente sujo. O PT está dividido [ou sempre esteve?]. Ontem, nas Prévias do partido, as ações produzidas pelo grupo do pré-candidato a vice-governador, Fernando Pimentel, foram feias demais. Patrus Ananias de Souza perdeu em Montes Claros com uma diferença enorme.
Mas do lado de Ananias há pessoas sérias, honestas, comprometidas e sem estrutura financeira nenhuma. Ou seja, é o que resta de dignidade ao saudoso Partido dos Trabalhadores que nasceu em 1980. Já do lado do ex-prefeito de Belo Horizonte, só para citar uma peça rara, estava o atual vereador Alfredo Ramos, que colocou nas ruas carros buscando as pessoas nas casas. Tinha ainda o deputado federal Reginaldo Lopes, representado na pessoa do seu assessor Eduardo Madureira, que também colocou vários carros nas ruas para buscar as pessoas.
E sem contar outros apoios obscuros que é até perigoso comentar. Mas o que se fala nos rincões desta cidade é que tinha muita compra de votos nessas prévias petistas. Patrus perdeu, mas podemos ter certeza que, com dignidade, ao contrário do Pimentel, que jogou sujo e ainda comprou briga com pessoas sérias, utópicas e que ainda sonham com um PT sério e envolvido com o bem-estar de toda a sociedade brasileira.
O povo feio que estava apoiando Pimentel não teve ânimo nem para festejar a vitória mais ridícula dos últimos tempos do Partido dos Trabalhadores. Apesar disso, militantes históricos do PT saíram de cabeça erguida e com a certeza de que bons tempos virão [a esperança é a última que morre ou a última a praticar o suicídio]. Nada passa despercebido aos olhos do bom e fiel Deus, que tudo fez, faz e fará pelos que n’Ele confiam e esperam.
É... diz o ditado que, no PT, tem cobra engolindo cobra. Será onde estes petistas prostituídos e travestidos chegaram com tanta desonestidade? Pimenta [Pimentel] nos olhos dos outros é refresco [e com PMDB e Lula do lado arde a alma]... No entanto, tudo passa e nada é concreto. Ninguém pode negar que é triste ver esse tipo de postura. Esses coronéis pós-modernos que apoiaram Pimentel devem ter é conseguido garantir alguma coisa boa para eles e seus familiares. Povo preguiçoso igual aqueles da parte perversa do PT não existe.
“Compra de voto sim, buscando pessoas nas casas sim, tendo apoio de coronéis corruptos e fichas sujas sim”. Foi o desabafo de um senhor que parecia bem revoltado na porta da Câmara Municipal de Montes Claros. Com certeza, esses atos se repetiram em diversos locais do município. Se a turma do Pimentel, com a força da direção nacional do partido e do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, colocou gente dele em MOC, colocou também em toda parte do estado de Minas Gerais.
Agora é certo que Pimentel não tem chance nenhuma contra Antônio Augusto Junho Anastasia (PSDB) e nem mesmo se ele se juntar com o Hélio Costa. O único que, de fato, tinha grandes chances contra o professor Anastasia era o Patrus Ananias. E cada vez mais o PT se esvazia de conteúdo para se aproximar de partidos como PSDB, PMDB, DEM, PP, PR, PCdoB, PDT, Psol. Os Estados Unidos do Brasil cada vez mais se assemelham aos Estados Unidos da América.

*Maicon Deivison Pinto Tavares é estudante, voluntário da Pastoral da Criança  e missionário da Pastoral da Comunicação da Arquidiocese de Montes Claros.

Vitória de Tadeu. Justiça volta com o preço do lotação determinado pelo prefeito dos pobres


Passagem de ônibus volta a subir em Moc

Girleno Alencar - Hoje em Dia 
MONTES CLAROS – A tarifa do transporte coletivo urbano de Montes Claros volta a custar R$ 1,90 a partir de hoje. A decisão é da 3ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça de Minas Gerais. O desembargador Silas Vieira concedeu efeito suspensivo no agravo de instrumento impetrado pelas empresas Alprino e Transmoc. A decisão saiu às 19 horas de sexta-feira, mas como o despacho chegou na tarde de segunda-feira (3), as empresas mudam o valor somente hoje. A liminar concedida pela juíza Rozana Siqueira Paixão, da 1ª Vara da Fazenda Pública de Montes Claros, vigorou por sete dias, com a tarifa custando R$ 1,55.
Desde o dia 9 de abril de 2009 que a tarifa do transporte coletivo urbano foi modificada de R$ 1,55 para R$ 1,90, conforme decreto assinado na época pelo prefeito Luiz Tadeu Leite. O Ministério Público impetrou ação civil pública, no mesmo período, sob a alegação de que as empresas tinham descumprido o contrato de concessão determinado na licitação, que exigia ônibus com no máximo oito anos de fabricação.
No dia 7 de abril deste ano, quando se completou um ano da ação, a juíza Rozana Siqueira Paixão concedeu a liminar, por entender que as empresas descumpriram a licitação. No dia 20 de abril, ele determinou que o valor retornasse a R$ 1,55 no dia 27 de abril, sob risco de providências judiciais por descumprimento da ordem judicial.
As duas empresas informaram nos autos que trocaram os ônibus conforme manda a lei e, portanto, as tarifas poderiam retornar a R$ 1,90. A juíza, no entanto, alegou que a sua decisão iria vigorar enquanto existissem ônibus com mais de oito anos. Levantamentos mostram que a cidade conserva ainda vários deles construídos em 2001 e, portanto, com nove anos.
No agravo de instrumento impetrado no Tribunal de Justiça de Minas Gerais, os advogados das duas empresas entenderam que a juíza extrapolou dos autos, ao exigir todos os ônibus com oito anos, quando a lei determina que deve-se exigir apenas quando se fixar o novo valor da tarifa e isto não foi reivindicado.
Na segunda-feira (3) de manhã, a assessoria de imprensa do TJMG informou que o desembargador concedeu o efeito suspensivo requerido pelas duas empresas, enquanto aguarda o julgamento do mérito da ação. Só assim, segundo ela, poderá ser considerada a exigência apenas de substituir os ônibus de 2000, motivo da ação judicial, dispensando a troca dos ônibus de 2001. O desembargador salienta ainda que a Prefeitura de Montes Claros impetrou agravo declaratório que precisa ser julgado na comarca.

sábado, 1 de maio de 2010

Promotoria apura elo entre prefeitura e o Montes Claros, sensação da Superliga

Mariana Bastos - Da Folhapress
O Ministério Público de Minas Gerais investiga irregularidade no repasse de verba da Prefeitura de Montes Claros para o time de vôlei, criado no ano passado. Uma lei orgânica municipal impede a transferência de recursos da prefeitura para entidades administradas por parentes do prefeito.
Luiz Tadeu Leite (PMDB) é o atual prefeito e há a suspeita de que seu filho, Luiz Tadeu Martins Leite, conhecido como Tadeuzinho, seja diretor da equipe sensação da Superliga.
Segundo a Promotoria, a prefeitura alega que Tadeuzinho não é diretor do time de vôlei, e sim apenas um colaborador voluntário. No próprio site da prefeitura, no entanto, é possível encontrar notícias nas quais o filho do prefeito é citado como um dos diretores. A reportagem tentou entrar em contato com a assessoria do Montes Claros, mas não obteve resposta.
Para montar um time competitivo, a prefeitura injetou R$ 550 mil, o que corresponde a 18% do orçamento dedicado à secretaria de Esportes. E ainda se dispôs a reformar, por quase R$ 2 milhões, o ginásio Tancredo Neves, o segundo maior de Minas Gerais, com capacidade para 12 mil pessoas. O ginásio, aliás, manteve-se lotado em quase toda competição.
Curiosamente, no início da Superliga, o nome da equipe era associado a uma instituição ligada à educação, a Funadem (Fundação de Apoio ao Desenvolvimento Educacional de Montes Claros), por meio da qual a prefeitura repassou verbas para criar o time de vôlei.
Com o investimento municipal e de alguns parceiros privados, a equipe traçou uma trajetória fulminante em apenas um ano. Venceu o Campeonato Mineiro, e, após receber um convite da CBV (Confederação Brasileira de Vôlei), chegou à Superliga. No ano em que estreia, já chega à final.
Segundo o procurador Felipe Caires, a prefeitura já assumiu ter investido R$ 550 mil na equipe na última temporada. Neste ano, no entanto, todos os recursos do time seriam de origem privada. O Banco Bonsucesso tornou-se o principal patrocinador da equipe.
"Se for confirmada a denúncia [de que o diretor do time é o filho do prefeito], a pessoa que ordenou a liberação dos R$ 550 mil terá que devolver o recurso para os cofres públicos", afirma o promotor.

sexta-feira, 30 de abril de 2010

Seminário regional do PC do B

Amanhã - sábado dia 1º de maio, o PC do B realiza um Seminário Regional do norte de Minas, no plenário da Câmara Municipal de Montes Claros (Av. João Luiz de Almeida, 40 - centro/Prédio da Prefeitura), a partir das 14 horas.

PAUTA
- Debate da conjuntura nacional e estadual
- Mudanças na legislação eleitoral para as eleições 2010 
- Tática eleitoral do Partido para este ano.

Já foram confirmadas as presenças de 12 municípios, além de Montes Claros.
Estarão presentes também os camaradas Zito Vieira, pré-candidato ao senado, Wadson Ribeiro, pré-candidato a deputado federal e Richard Romano, Secretário de Organização do PCdoB/MG.
Ao fim, haverá um ato político e um coquetel no mesmo local.

Com informação de Lipa Xavier

terça-feira, 27 de abril de 2010

Redução de tarifa de ônibus em Montes Claros começa a valer hoje 27

MONTES CLAROS – A juíza Rozana Siqueira Paixão, da 1ª Vara da Fazenda Pública de Montes Claros, determinou que as empresas Alprino e Transmoc reduzam, a partir de terça-feira (27), o preço da passagem do transporte coletivo urbano, de R$ 1,90 para R$ 1,55. A medida é em cumprimento da liminar expedida por ela no dia 7 de abril. Se não cumprirem a ordem, as concessionárias terão de pagar multa diária de R$ 5 mil, cada.
O despacho foi dado na última quinta-feira (22), após análise do pedido do promotor Felipe Gustavo Gonçalves Caires, da Curadoria do Consumidor. Na concessão da liminar, a juíza havia determinado que os usuários fossem ressarcidos dos R$ 0,35 cobrados indevidamente, com desconto na tarifa, o que a reduziria para R$ 1,20, durante um ano. No novo despacho, porém, essa devolução não foi abordada. Ontem, as empresas informaram que entraram com recurso no Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) para tentar derrubar a sentença.
A polêmica sobre o preço da passagem começou em abril de 2009, quando o prefeito Luiz Tadeu Leite o reajustou de R$ 1,55 para R$ 1,90. O Ministério Público entrou com ação civil pública, alegando que, conforme a licitação do serviço, as empresas não teriam direito a aumento da tarifa se mantivessem na frota ônibus com mais de oito anos de uso. Em 7 de abril deste ano, a juíza concedeu liminar, mandando voltar ao valor de R$ 1,55.
As concessionárias alegaram que haviam trocado os 20 ônibus considerados inadequados, mas o promotor Felipe Caires argumentou que, embora o problema dos veículos do ano de 2000 tivesse sido resolvido, continuam sendo usados ônibus de 2001, com mais de oito anos.
O promotor pediu que fosse estabelecida multa diária de R$ 20 mil para cada empresa, por descumprimento da ordem judicial e afirmou que, se for necessário, o Ministério Público requisitará providências à Polícia Militar, diante da configuração de infração penal. Pela lei, esta providência seria a prisão dos diretores das empresas.
O empresário Henrique Sapori, da Transmoc, alega que está havendo “dúbia interpretação do caso”. Segundo ele, o processo judicial é sobre o aumento da tarifa em 2009, e as empresas colocaram 20 novos ônibus em circular, cumprindo a lei. “Em 2010, não houve reajuste de tarifa e, por isso, não precisaríamos cumprir a legislação que determina ônibus com oito anos de utilização. Mesmo assim, em fevereiro, encomendamos novos veículos, que, no máximo em maio, estarão circulando”, afirma Sapori.
Fonte: Girleno Alencar da Sucursal do Hoje em Dia 

sexta-feira, 23 de abril de 2010

Dinheiro Saindo pelo Ralo

Apesar da carência de investimentos nas áreas prioritárias de segurança pública, transporte, educação e saúde, a Prefeitura de Montes Claros vem abusando do uso de recursos públicos para benefícios privados, como ocorre com a fundação de seu filho para projetar seu time de vôlei. Agora, escancaradamente, ela estará promovendo um desfile de moda, através da Secretaria Municipal de Cultura, em benéfico da estilista Ley Lopes, dona de lojas na cidade. O lançamento da Coleção Outuno-Inverno da estilista acontecerá hoje (23) às 21 horas no Centro Cultural Hermes de Paula, onde uma passarela será montada em frente ao Centro Cultural, apresentando etiquetas exclusivas, sob coordenação da estilista Ley Lopes.
Segundo Ley Lpoes, será um “momento fantástico com as nossas modelos desfilando com as grifes mais famosas”, entre elas, as alinhadas mineiras Patachou e Alphorria, “voltadas para a mulher madura”, e ainda Maria Bonita, Victor Dzenk, Divina Pele e Blue Banana.

PLURARIDADE - Ainda de acordo com a estilista, o desfile também mostrará a moda descontraída, investindo em muitas legues, paetês, sem deixar de lado as botas de cano alto, acima do joelho, as chamadas botas Madona. “Artigos muitas vezes evitados, até discriminados pela mulher, mas que usados de forma adequada, são de muito bom gosto e charme”, acrescentou.

MODA INTERNACIONAL - O público será brindado também com a moda feminina de inspiração européia, sobressaindo os modelos com cinturinha marcada, corset, ombros bem estruturados, além de outros vários detalhes, informou a estilista.

“Outro destaque do desfile serão as bijuterias da grife Mary, brincos, colares, braceletes e outros artigos atraentes. Será, sem dúvida, um momento marcante da moda em Montes Claros e esperamos que o público prestigie”, finalizou Ley Lopes.
Com informação da Prefeitura de Montes Claros

Trabalhadores do transporte escolar rural se manifestam novamente

Samuel Nunes

Trabalhadores do transporte escolar na Zona Rural se manifestaram na câmara municipal na manhã de terça-feira, 20, a fim de chamar a atenção do poder público municipal para as dificuldades enfrentadas com o atraso de quatro meses no pagamento dos salários.
À reportagem, um motorista, que prefere não se identificar temendo alguma represália, revelou que, devido ao atraso, está devendo cerca de R$ 5 mil ao posto de gasolina da cidade. Ele disse ser fundamental que o pagamento seja realizado, para que os motoristas possam quitar essa e outras dívidas na praça, como, por exemplo, financiamento e pagamento do IPVA, todos atrasados há cerca de quatro meses.
- Não temos mais condições de trabalhar de graça para o município. Realizamos o nosso trabalho da melhor forma possível e é duro ficar tanto tempo sem receber - disse.
De acordo com ele, toda a documentação necessária foi entregue ao setor de licitação da prefeitura no dia 11 de fevereiro. Os documentos deveriam ser enviados à Secretaria Municipal de Educação.
- Somos responsáveis pela manutenção dos carros, abastecimento, compra de pneus e tudo que diz respeito a gastos do veículo. Agora, como vamos sustentar nossas famílias e pagar todas essas despesas, sem receber durante quatro meses? - Questiona o motorista, que gasta por mês em torno de R$ 400 de combustível.
A falta de pagamento dos salários já prejudicou também, de certa forma, a população que depende desse tipo de transporte, na Zona Rural. O presidente da associação da comunidade rural de Facela, Adiel Silva, informou que cerca de 400 crianças estão prejudicadas com a paralisação do transporte escolar.
Foto: Rubens Santana

terça-feira, 20 de abril de 2010

Prefeito caloteiro inaugura mais obras de Athos

ONTEM (19-04) AS 14 HS O PREFEITO TADEU LEITE INAUGUROU A REFORMA DO C.S. MAJOR PRATES, COM A PRESENÇA DE ALGUNS SECRETARIOS, O DEP. CARLOS PIMENTA, OS VEREADORES VALCIR E MARCOS NEM, A MAIOR PARTE DOS GERENTES DOS OUTROS CENTROS DE SAUDE, UMA CAMBADA SEM TAMANHO DE PUXA SACOS PAGOS, INCLUSIVE O PUXA SACO MOR FERNANDINHO BOCA DE PAGODE, ALÉM DO GARUPEIRO O FILHO DO PREFREITO.

ALGUNS FATOS INUSITADOS:
1 - MESMO O PREFEITO TENDO ANUNCIADO AOS QUATRO CANTOS DO BAIRRO MAJOR PRATES E REGIÃO CONVIDANDO O POVÃO, QUE O C.S. SERIA INAUGURADO, O QUE SE VIU LÁ FOI MEIA DÚZIA DE GATOS PINGADOS, SENDO QUE O GRANDE VOLUME ERA DE SERVIDORES DO C.S. E OS CABOS ELEITORAIS DO PREFEITO E DO DEP. CARLOS PIMENTA, O POVO MESMO NÃO PISOU O PÉ LÁ.
2 - O PREFEITO DISSE AO INAUGURAR A REFORMA QUE ESTAVA CHATEADO COM OUTRA ADMINISTRAÇÃO ONDE SEUS ADVERSARIOS ARRANCARAM A PLACA ORIGINAL DA INAUGURAÇÃO DA FUNDAÇÃO DO C.S., MAS ALEGRE AO MESMO TEMPO PORQUE A PLACA ESTAVA DE VOLTA GRAÇAS A AÇÃO DE DONA MAURA, UMA SERVIDORA ANTIGA DO C.S. TINHA GUARDADO A PLACA E DEVOLVIDO A ELE E QUE A PLACA ESTAVA NA PAREDE NOVAMENTE. DEIXANDO O AUTOR DA FAÇANHA DE TER TIRADO A PLACA QUE ESTAVA AO LADO DO PREFEITO TODO ENVERGONHADO. TRATA-SE DO ETERNO ADJUNTO DE SAÚDE WALDEIR BARRETO , QUE EXERCIA NA ÉPOCA DA FAÇANHA A MESMA FUNÇÃO DE HOJE, NO MANDATO DE JAIRO ATÍDE .
3 - NA HORA QUE LEITE AGRADECIA AOS PRESENTES E FEZ QUESTÃO DE FRIZAR A PRESENÇA DE SEU FILHO, FERNANDINHO O INTERROMPEU GRITANDO AOS BERROS "VAI SE ELEITO DEPUTADO!! VAI SER ELEITO DEPUTADO!!!!!", NA HORA DE CARLOS PIMENTA LÁ VEM FERNANDINHO DE NOVO; "VAI SER REELEITO DEPUTADO!!"

4 - A OUBRA CUSTOU CERCA DE 200.000 REAIS VERBAS DO PRÓ SAUDE DO GOVERNO FEDERAL, CONSEGUIDO NO MANDATO DE ATHOS POR JOÃO BATISTA SILVÉRIO.
5 - OUTRO ASSUNTO QUE CAUSOU RISADINHAS ATÉ ENTRE OS PUXA SACOS FOI QUANDO O PREFEITO DISSE QUE A SUADE EM MONTES CLAROS ESTÁ MUITO BEM AVALIADA, QUE ENCOMENDOU PESQUISA QUE DEU 51% DE APROVAÇÃO.
Texto e foto de um dos presentes, que pediu para não ser identificado

domingo, 18 de abril de 2010

A gestação do choque

* Waldyr Senna Batista

O sucesso alcançado pelo governador Aécio Neves com o choque de gestão tem levado governadores e prefeitos a adotar o sistema. Que não é infalível e nem realiza milagres. Nem todos sabem que, para obter êxito com esse programa, estados e municípios precisam atender a pré-requisitos que abranjam até o período anterior à posse do governante, com procedimentos a serem perseguidos sem esmorecimento durante longo prazo, que pode chegar a consumir metade do mandato. Trata-se de medidas impopulares, com eliminação de influências eleitoreiras, além de (e principalmente) adoção de rígido controle de gastos. Demissões não são descartadas. O administrador que se dispuser a tanto, precisa estar consciente de que enfrentará desgaste político e se transformará em alvo da insatisfação de correligionários e financiadores de campanha impacientes, que geralmente batem à porta mal se anuncia o resultado das urnas.Choque de gestão na administração pública é um processo. O governador Mário Covas, de São Paulo, foi o precussor dessa modalidade de governar. Transformou-se em saco de pancadas, mas persistiu no propósito e conseguiu reverter a situação na segunda metade do período. Reelegeu-se.
Aécio Neves, com outro estilo, por ser mineiro, adotou o programa, alicerçado por rigorosa reforma fiscal e forte esquema publicitário. Saneou as finanças do Estado e realizou o maior conjunto de obras já visto. Não só se reelegeu como saiu consagrado. Em Montes Claros, só depois de decorridos 15 meses do mandato, o prefeito Luiz Tadeu Leite anunciou sua adesão ao modismo da atualidade. Deveria tê-lo feito no primeiro dia. Sua meta é economizar R$ 20 milhões em um ano, para serem aplicados, ao que ele diz, no atendimento à saúde, em obras públicas e outros serviços. Isso se daria, segundo o prefeito, com medidas que evitem desperdícios e custos desnecessários.
O propósito é louvável, mas, por estar chegando um pouco tarde, tem reduzida sua margem de êxito. Até agora, o prefeito fez tudo o que o manual reprova, a começar pelo inchaço do quadro de pessoal. Tendo assumido a Prefeitura com absurdos 8 mil servidores e, pressionado pelo Ministério Público, anunciou a demissão de 4 mil contratados, que estariam em situação irregular. E agora surpreende, revelando que o número de funcionários, em vez de diminuir, aumentou, chegando a 9.900.
Ainda que as demissões anunciadas não tenham sido efetivadas ou que parte desse contingente tenha sido readmitida, o crescimento do empreguismo foi assombroso. E o próprio prefeito, em entrevista, confessa que boa parte desses servidores foi contratada por indicação de vereadores, deputados estaduais e federais e por partidos que lhe deram sustentação na campanha eleitoral. Consta que a “quota” pessoal de cada vereador, nesse festival custeado pelo contribuinte, foi de cinquenta indicações, o que explica o fato de, na Câmara de 15 representantes, o prefeito ter o respaldo sistemático de 15. Isso mesmo: unanimidade. O pior é que, enquanto o custo da folha de pagamento crescia ( R$ 13 milhões/mês), a arrecadação desabava: de quase 15 milhões, chegou a R$ 7 milhões, devido à crise da economia mundial do ano passado, estando atualmente em R$ 9 milhões, com previsão de que só em 2011 alcançará a cifra anterior à crise. Qualquer empresa, num quadro semelhante, seria dada como falida. Mas o poder público não “quebra”. Deixa de realizar serviços essenciais e faz com que piore a qualidade de vida da comunidade. O administrador erra e o povo é quem sofre. O fato de o prefeito estar anunciando esse choque de gestão extemporâneo equivale a dizer que a administração não conseguiu decolar, decorrido um terço dos 48 meses do mandato. Espremida entre duas eleições, ela se vê manietada por compromissos eleitoreiros e dificuldades legais para obter repasses para obras. O choque em gestação constitui a cartada de desespero.

* Waldyr Senna Batista é jornalista e colunista do Montes Claros.com

sexta-feira, 16 de abril de 2010

Greve dos Servidores da Unimontes já duram 21 dias e governo não se pronuncia.

*Por Fabrício Amaral

A desvalorização do servidor fez com que no dia 26 de março deste ano fosse deflagrada a greve dos servidores da Unimontes. O direito de greve esta previsto na Lei 7783 da Constituição Federal que embora seja da iniciativa privada os servidores estão amparado pela decisão do STF (Superior Tribunal Federal). Os atendimentos de postos e policlínicas foram todos cancelados, inclusive os exames dos municípios vizinhos; somente está funcionando serviços essenciais inádiaveis, como determina o STF. O reitor Paulo César de Almeida reconhece que as reivindicações são legítimas e diz estar empenhado em resolver a situação, os professores e os acadêmicos também reconhecem a legitimidade das reivindicações e a necessidade do movimento.
De acordo o dirigente do Sind-Saúde/Unimontes, Milton Ricardo Brandão, os servidores optaram pela greve devido à situação da universidade estar insustentável e principalmente a situação de precariedade que se encontra o Hospital Universitário Clemente Faria (H.U.). Existem hoje na universidade servidores que recebem R$ 349,00 de salário base e os técnicos especialistas R$ 474,50 (acompanhe contra-cheque de servidor). A reclamação não é apenas salarial, o auxílio alimentação de R$ 30,00 e o auxílio transporte é de R$ 57,58 estão defasados e há, mesmo entre os servidores, discrepâncias no recebimento de benefícios como por exemplo as gratificações por produtividade. As reclamações se estedem, obviamente, às questões estruturais (falta de equipamentos hospitalares, a falta de medicamentos, falta de organização) e ao tratamento que a diretoria do hospital e a reitoria dá ao servidores, quando não é de descaso é hostil. "E a população nos trata muito mal também, pois acham que a culpa do péssimo atendimento é nossa, mas nós damos tudo de nós para poder atendê-los bem! ", relata emocionada uma servidora que atende no pronto socorro do H.U..
Apesar do período eleitoral e de o governo anunciar o reajuste de 10%, os servidores não viram outra saída senão a greve, porque, como afirma Brandão, "desde 2008 estamos tentando dialogar com o governo Aécio e mostrá-lo a precária situação em que se encontra os servidores da Unimontes, mas todas oportunidades para as reuniões foram adiadas sem justificativa plausível, sendo assim o descaso, os servidores em assembleia geral reclamaram a greve depois da última tentativa no dia 19. Estamos até hoje, (sexta) com 21 dias de greve e o governo não se pronunciou, as negociações com a reitoria e direção do hospital avançaram pouco, todavia expectativa é que o governo nos receba. Temos até julho para lutarmos".
No último dia 14, os servidores fizeram outra passeata para dialogar com a população. Marcada com o símbolo fúnebre do caixão, representando o Governo Aécio e Anastasia, a passeata foi até a praça doutor Carlos onde os servidores denunciaram novamente, por meio de faixas e carro de som, o descaso e o desrespeito para com os servidores e a população, o sucateamento da educação e da saúde do estado de Minas Gerais, os altos gastos do governo com propaganda e atores e a falta da grande mídia para mostrar a realidade do serviço público; criticaram, também, a omissão dos deputados da bancada norte-mineira. Após o ato, os servidores foram até à reitoria para ouvir o reitor que anunciou que os servidores não teriam os dias cortados. Embora já houvesse a decisão de que a greve permaneceria mesmo se cortasse o ponto, os servidores receberam a notícia como uma vitória. O movimento ganhou mais força com a solidariedade dos Professores (Adunimontes) e dos acadêmicos (DCE) que estão recolhendo alimentos para ajudar os servidores a manterem o movimento. Dessa forma o movimento grevista pressiona cada vez mais o governo a responder as reivindicações do servidores e ao que tudo indica os professores entrarão em greve no próximo dia 19. A respeito de o governo receber os servidores, Brandão disse que nesta sexta estará reunido, em Belo Horizonte, com alguns deputados da bancada de deputados do norte de minas e a secretária de estado Renata Maria Paes de Vilhena. Os professores também estarão na reunião juntamente com a representção estudantil. Haverá, no entanto, outra possibilidade de reunião do sindicato com secretária semana que vem agendada pelo deputado Padre João (PT) em caráter de urgência devido o momento que vive os servidores e a população.
Os servidores convidam a toda população a participarem das atividades da greve para pressionar cada vez mais o goveno a resolver a situação da Universidade Estadual de Montes Claros e assim voltar a atender normalmente o cidadão.
Enquanto se discutem a situação da Unimontes, Montes Claros espera, da administração municipal, melhorias na saúde e na educação como um todo.

*Fabrício Amaral é servidor da Unimontes

quinta-feira, 15 de abril de 2010

Montes Claros se despede de Danilo D’avila

Faleceu na madrugada desta quinta-feira 15, depois de ter lutado por meses contra o câncer, Danilo D’avila. Membro do PSOL, Danilo sempre participou dos movimentos políticos de Montes Claros. Ele está sendo velado na Sala do Cemitério Parque Jardim da Esperança.
Fonte: Blog do Karoba

Justiça cancela reajuste de ônibus em Moc

Liminar determina redução de tarifa e devolução de valor pago a mais


Girleno Alencar - Hoje em Dia

MONTES CLAROS – A tarifa do transporte coletivo urbano em Montes Claros retornará ao preço de R$ 1,55 e, durante um ano, o passageiro deverá pagar somente R$ 1,20, devido ao desconto de R$ 0,35 que teria sido pago a mais.
A redução foi determinada por liminar concedida pela juíza Rosana Siqueira Paixão, da 1ª Vara da Fazenda Pública, que acatou ação civil coletiva impetrada pelo Ministério Público, por intermédio da Curadoria do Consumidor. A liminar, concedida na quarta-feira (7) de abril, foi publicada na terça-feira (13). Ainda cabe recurso.
O preço da passagem foi reajustado em abril de 2009, pelo prefeito Luiz Tadeu Leite, de R$ 1,55 para R$ 1,90. No entanto, o Ministério Público alegou que as concessionárias não tinham direito ao aumento, já que teriam descumprido o contrato de licitação, ao manter em circulação ônibus além de sua vida útil.
O presidente da MCTrans, Orlando Camargo, afirmou ontem que as empresas já substituíram os 20 ônibus e, por isso, estariam com o contrato em dia. Já a Associação das Empresas de Transportes Coletivos Urbanos alegou que somente se manifestará sobre o assunto depois de ser citada pela Justiça, pois ainda não conhece o teor da determinação.
Em seu despacho, a juíza Rosana Siqueira determina “o imediato retorno da tarifa de transporte coletivo urbano, em Montes Claros, ao valor de R$ 1,55, permanecendo neste patamar até que as concessionárias comprovam a substituição de todos os ônibus com mais de oito anos de fabricação e que deverão ser efetivamente utilizados pelo sistema”.
Ela estabeleceu ainda que a diferença cobrada a mais seja devolvida aos usuários com o desconto no valor da tarifa pelo mesmo período em que o aumento vigorou. Com isso, o preço da passagem deverá ser de R$ 1,20, durante um ano, descontando, de R$ 1,55, os R$ 0,35 que teriam sido pagos a mais.
“A decisão judicial confirma o acerto do Ministério Público em apontar a ilegalidade do aumento tarifário” afirma o promotor Felipe Gustavo Gonçalves Caires. “O reajuste foi concedido sem prévia comunicação aos vereadores e sem que as concessionárias tivessem substituído os ônibus com mais de oito anos de fabricação por veículos mais novos”. Com a publicação da liminar, a tarifa deverá retornar imediatamente ao valor anterior, a menos que as empresas substituam os 20 ônibus que estão nessa condição.
Nesta quarta-feira (14), as empresas, por meio da assessoria de imprensa, informaram que “já comunicaram às autoridades que, diante dessa decisão, não terão condições de operar os serviços”.
As concessionárias alegam que “gastaram em torno de R$ 12 milhões com a concessão, estão endividadas em bancos e, com a implantação do sistema de integração, o número médio de passageiros transportados caiu de 2 milhões, em média, para l,5 milhão, sem contar os aumentos de salários de motoristas e cobradores”.
Na nota, as empresas afirmam ainda que “a justificativa da Justiça de que não houve aquisição de ônibus não procede, pois foram incluídos na frota 20 novos veículos

quarta-feira, 14 de abril de 2010

Justiça determina redução da tarifa de lotação


A novela entre o ministério público e o setor de transporte coletivo urbano de Montes Claros tem mais um capítulo. Em nota oficial distribuída ontem à tarde, terça-feira, à população, o promotor de justiça Felipe Caíres comunica em detalhes a sentença datada do dia 07 de abril de 2010, de autoria da juíza Rosana Silqueira Paixão, que determinou em 23 laudas o imediato retorno da tarifa de transporte coletivo ao valor de R$ 1,55, permanecendo neste patamar até que as concessionárias comprovem a substituição de todos os ônibus com mais de 08 (oito) anos de fabricação e que deverão estar efetivamente sendo utilizados pelo sistema de transporte coletivo.


XU MEDEIROS

Ainda segundo a sentença, as empresas devolverão a diferença do valor excedente a R$ 1,55 - preço da tarifa antes do aumento -, devendo o pagamento se dar em forma de compensação, ou seja, com o abatimento no valor da tarifa cobrada dos usuários na mesma proporção do aumento e por igual período de tempo ao que foi devido e efetivamente cobrado. Isto faria com que a tarifa fosse reduzida para algo em torno de R$ 1,20.

A direção da ATCMC- Associação do transporte coletivo urbano de Montes Claros, procurada pela reportagem do O NORTE, afirmou que não poderia opinar a respeito, pois ainda não havia sido comunicada oficialmente pela justiça. Mas antecipou que deve ter um erro de interpretação, pois as empresas compraram vinte novos ônibus, que substituíram os com mais de oito anos de uso.

- Se realmente ocorrer essa decisão judicial, vamos à falência literalmente, pois investimos mais de 12 milhões de reais, estamos endividados junto ao sistema bancário e, o pior, dos 2 milhões de passageiros previstos para serem transportados com a implantação do novo sistema, esse número caiu para menos de 1 milhão e 500 mil passageiros. Em menos de 60 dias entraríamos num caos total - disse um dos empresários do setor.

terça-feira, 13 de abril de 2010

Lançamento CAFE - Montes Claros - Macaco Bong + 4 Instrumental + Sofia

No próximo dia 16 de Abril, o Retomada fará mais um evento. Desta vez, para lançar oficialmente a Casa Fora do Eixo Montes Claros.
E para essa comemoração o coletivo preparou um ótimo evento. Na sexta, dia 16 de Abril, a noite vai ficar por conta de três bandas muito legais: Sofia (Montes Claros - MG), 4Instrumental (Sabará - MG) e Macaco Bong (Cuiabá - MT).

A banda Sofia (www.myspace.com/bandasofia) já é conhecida do público local, desenvolve um rock alternativo com pitadas de hard rock e vem se destacando na cena local. A banda que existe desde 2003, está preparando seu primeiro cd, com músicas autorais de qualidade.
A banda 4 Instrumental (www.myspace.com/4instrumental ), depois de pouco mais de um ano, se apresenta em Montes Claros pela segunda vez. A banda tem tido grande reconhecimento no cenário independente do estado, como uma das ótimas bandas de música instrumental em Minas Gerais.
Já a banda Macaco Bong (www.myspace.com/macacobong ), também está de volta a cidade pela segunda vez. A banda matogrossense que é hoje está entre as melhores bandas de instrumental do país está em turnê pelo Sudeste, onde além de Montes Claros se apresentará em mais cinco cidades. Referência no estilo, o trio instrumental é a banda símbolo da movimentação Fora do Eixo. Desde o lançamento de seu álbum de estreia, Artista Igual Pedreiro, um dos mais celebrados de 2008, os cuiabanos passaram por concorridos palcos das capitais e desbravaram estradas pelo interior do Brasil, de pequenos bares aos mais prestigiados festivais do país (e não só - foram também à Argentina e ao Canadá), sem medir esforços para levar seu potente show à variadas plateias.

As três bandas serão as atrações do lançamento oficial da Casa Fora do Eixo Montes Claros, um espaço que irá fomentar a cultura urbana que é produzida na cidade e também proporcionar um intercâmbio cultural com outras regiões do país. A primeira Casa Fora do Eixo (CAFE), surgiu em Cuiabá - MT com a proposta de fomentar a música independente e atualmente existem mais duas no país, uma em Montes Claros (MG) e uma em Anápolis (GO), além de Cuiabá (MT).

O Circuito Fora do Eixo é uma rede de trabalhos colaborativa, que desenvolve ações pautadas pelos princípios da economia solidária e da tecnologia livre. Hoje, o Circuito é formado por 48 coletivos culturais espalhados pelo país e é representado em Montes Claros pelo coletivo Retomada, que é o Ponto Fora do Eixo na cidade. O Retomada existe desde de 2007 e atualmente é formado por núcleos como Planejamento, Produção, Comunicação, Distribuição, Audiovisual, Sonorização e Design, desenvolvendo ações que buscam integrar a música independente com outras artes e junto com mais nove cidades forma a rede estadual do circuito chamada Fora do Eixo Minas.

Vale a pena se programar para não perder esses três excelentes shows. O evento será no dia 16 de Abril, a partir das 22 horas, na Casa Fora do Eixo - Montes Claros na Av. Dulce Sarmento, 233 - São José.
Para saber mais sobre o Coletivo Retomada (http://www.retomadamoc.blogspot.com/ ) e o Circuito Fora do Eixo (http://www.foradoeixo.org.br/ ), basta enviar um e-mail para coletivoretomada@gmail.com

quinta-feira, 8 de abril de 2010

Vereador Alfredo Ramos. A Georgina do sertão

Ministério Público do Estado de Minas Gerais

13ª Promotoria de Justiça da Comarca de Montes Claros
Promotoria do Cidadão
Curadoria do Patrimônio Público e da Probidade Administrativa


Representante: Ministério Público de Contas do Estado de Minas Gerais
Representados: empresa Atrium S/A e PREVMOC
SRU 0433.09.000196-0


PORTARIA 02/2010/13ª PJ (protocolo 815-09)

01. Considerando que as representações enviadas pelo Ministério Público junto ao TCE/MG e também pelo Banco Central noticiam que, entre junho e novembro de 2008, recursos da autarquia municipal PREVMOC teriam sido usados para aquisição, por preço manifestamente superfaturado, de títulos públicos vendidos pela empresa ATRIUM CCTVM Ltda, negociação que teria causado, em valores atualizados, prejuízos de cerca um milhão de reais aos cofres do PREVMOC.

02. Considerando que as manifestações apócrifas de fls. 160/161 ainda noticiam que o desfalque patrimonial teria servido como fonte de financiamento de campanha de ex-diretor-presidente do PREVMOC, o Sr. Alfredo Ramos Neto, hoje vereador em Montes Claros, para cuja eleição também teriam afluído recursos desviado do pagamento de alugueis e de condomínios feitos por locatários de prédios do PREVMOC onde funciona atualmente o Shopping Popular de Montes Claros.

03. Considerando que tais fatos, se verdadeiros forem, caracterizam atos de improbidade administrativa previstos na Lei Federal 8429/92, bem como ilícitos penais, imputáveis aos então diretores-presidentes e gerentes administrativos do PREVMOC, podendo ainda ser responsáveis aqueles que, mesmo não sendo agentes públicos, beneficiam-se das supostas fraudes.

04. Considerando ser dever do Ministério Público promover o inquérito civil para proteção do patrimônio público e da probidade adminsitrativa (artigo 129, III da CF), inclusive promovendo a responsabilização judicial de agentes públicos que atuam em desconformidade com a lei

05. DETERMINO:

a) a instauração do presente inquérito civil, registrando-se sua deflagração nos livros/sistemas desta 13ª. Promotoria de Justiça bem como, sendo necessário, autuando-se e numerando-se as peças deste expediente;

b) a publicação desta portaria inaugural no quadro de avisos do Ministério Público no átrio da sede ministerial na comarca, bem como o registro da mesma no SRU, para conhecimento e eventual publicação no “Minas Gerais”(artigo 6º, VI da Resolução 23-2007 do Conselho Nacional do Ministério Público), certificando-se;


c) com cópia da portaria inaugural e de fl. 334, a expedição de oficio à ANDIMA (Associação Nacional das Instituições do Mercado Financeiro) requisitando-se informar, no prazo de dez dias, o valor dos preços unitários (PU`s) referentes à operação financeira 10;

d) com portaria da portaria inaugural, a expedição de ofício à Junta Comercial do Estado de São Paulo, requisitando-se informar, no prazo de dez dias úteis, cópia do contrato social – e de suas eventuais alterações – relativo à empresa Atrium S/A Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários, cujo CNPJ é 62.122.718/0002-99;


e) com cópia da portaria inaugural e de fls. 160-161, notificar para comparecimento a oitiva nesta Curadoria do Patrimônio Público e da Probidade Administrativa, na condição de testemunha, a pessoa de Eurípedes Alves da Cruz (fs. 185), atual diretor-presidente daquela autarquia, oportunidade em que deverá a) prestar esclarecimentos sobre possíveis prejuízos impostos ao PREVMOC pela compra de título públicos em 2008 bem como pelo desvio de alugueis e de condomínios do prédio do Shopping Popular; b) apresentar cópia do extrato bancário da conta do PREVMOC n. 6073-9, agencia 0104-X, Banco do Brasil S/A, alusivo ao período de junho a dezembro de 2008.

f) enviar os autos à assessoria contábil para que seja discriminado, no prazo de dez dias, valor, data e localização nos autos dos cheques e TEDs apontados no item 08 do termo de análise retro como possíveis indícios de pagamentos em duplicidade feitos pelo PREVMOC à empresa ATRIUM S/A;


g) conclusão dos autos quando da oitiva;



Montes Claros 23 de fevereiro de 2010

Felipe Gustavo Gonçalves Caíres
Promotor de Justiça

quarta-feira, 7 de abril de 2010

CIDADE NÃO TEM COLETA DE LIXO NAS RUAS

"Além dos danos causados pelos buracos e as chuvas, o lixo não recolhido nas ruas, em vários bairros da cidade, é um problema que vem dificultando a vida dos moradores de Montes Claros, em algumas áreas os casos são mais freqüentes. Nos bairros mais afastados, é comum encontrar amontoados sacos de lixos jogados em terreno baldio ou mesmo nos arredores das casas, área de lazer, igreja, causando incômodo e pondo em risco a saúde dos moradores.

As pessoas tem a esperança que o carro faça á coleta do lixo doméstico mais o lixo dormi na ruas, e á Prefeitura não faz isso, ou seja, os moradores é que pegan por conta própria e vai levar nos pontos de apoios . Nos bairros Edgar Pereira,São João, ou em todos os bairros a situação e são as mesmas,é um dos locais que servem de reservatórios de lixo. O problema, junto com outros causados pelas chuvas, piora ainda mais a situação. Nas praças, a realidade é semelhante,com toda qualidade de lixo. "Quando chove a situação fica mais crítica, pois aumenta a proliferação de insectos, tem o incômodo provocado pelo mau cheiro, além da população fica exposta a todo tipo de doença", disse morador Paulo José Oliveira .

Ele acrescenta que depois das chuvas aumentou a quantidade de objetos jogados no meio da rua.

"A coleta é regular, passa duas vezes na semana, mesmo assim, a Prefeitura insiste na função de ocupar as ruas com o lixo", declara".
Fonte: Blog do Xu Medeiros

UNICIRCO - Autoridades omissas sobre golpe

Já se passaram 7 anos desde que Montes Claros e sua gente foram vítimas de um golpe e até hoje nenhuma autoridade se pronunciou sobre o caso. Em 2003 foi inaugurada na Univrsidade Estadual de Montes Claros (Unimontes), a Universidade Livre do Circo (Unicirco), um projeto bancado com recursos públicos cujo objetivo era atender crianças carentes, introduzindo-as ao lazer e à aprendizagem circense.
No papel, convênios internacionais, auxílio às famílias das crianças e projeção mundial aos futuros artistas; grandes salários, carreira de sucesso, intercâmbio com o Canadá etc. Parecia bom demais para ser verdade. Tanto que, 9 meses depois, descobriu-se que tudo não passou de promessas. Quem ganhou, na realidade, foi o ator Marcos Frota.


Na verdade, o período que a Unicirco permaneceu na cidade foi marcado pela má vontade por parte, principalmente, do reitor. Serviu apenas para a realização de eventos com artistas como Almir Sater, Gal Costa, 14 Bis, além de festinhas particulares de aniversário. Ninguém sabe para o bolso de quem foi o dinheiro arrecadado. Depois, levaram a lona da Unicirco e ficou por isso mesmo. Polícia, Justiça e Ministério Público continuam calados.

Fonte: Jornal Daqui

segunda-feira, 5 de abril de 2010

REVISTA TEMPO 50 NAS BANCAS‏

Aldair Fagundes está de malas prontas para assumir a cadeira do PT na Câmara de Montes Claros

Vereador Alfredo Ramos, do PT é denunciado pelo Ministério Público de usar R$ 1 milhão dos cofres do PrevMoc, para suposto financiamento de sua campanha eleitoral 

"O Ministério Público instaurou inquérito para apurar uma operação, que teria sido realizada em 2008, pela PrevMoc, a autarquia municipal que administra as contas de 4.944 servidores da ativa, 913 aposentados e 288 pensionistas da cidade.
O MP investiga a suposta utilização de recursos do PrevMoc para a aquisição de títulos públicos, em uma negociação que teria causado prejuízos de R$ 1 milhão aos cofres da autarquia. O suposto desfalque patrimonial teria servido também como fonte de financiamento de campanha eleitoral de um ex-diretor da PrevMoc. (Leia-se, Alfredo Ramos Neto, que se elegeu vereador pelo PT)
Investiga-se ainda o desvio de recursos provenientes do pagamento de aluguéis e de condomínios feitos por locatários de prédio do PrevMoc onde funciona um shopping popular. O presidente da PrevMoc, Eurípedes Alves da Cruz, não concorda com a operação que teria sido feita pelo ex-diretor da autarquia e torce para que as investigações não tragam transtornos para a instituição. “Vamos continuar trabalhando com o regime próprio, superando possíveis dificuldades. É inimaginável, para Montes Claros (que aderiu ao RPPS em 1993), abandonar o regime próprio”, diz.
Além do desvio de recursos para fins políticos, os atrasos nos repasses da contribuição patronal aos fundos também estão entre os motivos para a solicitação de extinção do regime próprio".

segunda-feira, 29 de março de 2010

Servidores da Unimontes paralisam atividades

Janaína Gonçalves - Repórter O Norte

Depois de dois anos de reuniões e assembleias, os servidores do setor administrativo e da saúde da Unimontes - Universidade Estadual de Montes Claros paralisaram as atividades na manhã de sexta-feira, 26.
A mobilização em prol de melhorias nas condições de trabalho e salários levou os servidores para a frente do hospital universitário Clemente de Faria.
Foto: Xu Medeiros

Enterro e teatro na manifestação de servidores
da Unimontes.

De acordo com o diretor do Sindsaúde - Sindicato dos servidores da saúde de Minas Gerais, Isael Soares, os servidores da saúde e do setor administrativo precisam ser ouvidos pela gestão da Unimontes e do governo de Minas, uma vez que a assembleia de negociação marcada para 19 de março deste ano foi cancelada e já faz mais de 10 anos que não há melhorias nestes setores.
- Hoje, um técnico de enfermagem ou administrativo recebe R$ 470. O que é previsto por lei é uma média salarial em torno de R$ 700 a R$ 800 - diz.
Ele afirma ainda que, para que o hospital funcione legalmente, 30% dos servidores devem estar na ativa.
- Hoje a unidade possui 1.453 servidores, mas 70% já aderiram à greve - afirma o diretor, que acrescenta que a Unimontes tem o menor piso salarial do estado.
Para a técnica de enfermagem Cássia Ribeiro dos Santos, a defasagem salarial é uma preocupação constante.
- Hoje não recebo nem um salário mínimo. É uma vergonha e um desrespeito com a classe e o profissional, já que o trabalho exige cuidado e dedicação com os pacientes - diz.
A auxiliar administrativa Maria das Dores de Jesus Santos, que trabalha há mais de 23 anos no setor, diz que neste período não houve melhorias.
- O abono salarial é R$ 0,24 por filho, o vale-transporte R$ 30,00 e a alimentação R$50,00. É preciso mobilizar a gestão para que tenhamos condições de trabalho digno, porque não quero ganhar muito dinheiro, mas o que tenho direito - diz.
O auxiliar administrativo José Aparecido Saraiva tem opinião semelhante.
- É importante que a classe se una para chamar a atenção do governo do estado sobre a insatisfação com a qualidade de trabalho que estamos - afirma.
De acordo com o diretor do Sindsaúde, a greve não tem previsão para acabar.
- Vamos esperar o pronunciamento do governo em favor de melhores condições de trabalho.
Em nota oficial, a direção da Unimontes afirma que acompanha a mobilização dos servidores técnicoadministrativos e, ao mesmo tempo, manifesta sua preocupação diante da paralisação das atividades, que trará prejuízos irreparáveis aos professores, servidores, alunos e à população.
As reivindicações serão encaminhadas ao governo do estado e, para tanto, a reitoria atuará mais uma vez como interlocutora.

quinta-feira, 25 de março de 2010

Caso Rosalvo e Daniela: Justiça foi feita

Depois de oito anos de impunidade, Dalmar Ferraz de Melo Júnior foi condenado a 24 anos de prisão em regime fechado, por ter sido o mandante do assassinato do jornalista Rosalvo Bastos e sua noiva, Daniela Oliveira, com tiros e facadas, em frente à sua residência, localizada na Rua Dom Pedro II, centro de Montes Claros.

A sentença foi lida pelo juiz Maurício Leitão Linhares na madrugada desta quinta-feira

A sentença foi lida pelo juiz Maurício Leitão Linhares na madrugada desta quinta-feira

Conheça o caso

Dalmar Ferraz de Melo Júnior era acusado de mandar matar Rosalvo Teixeira Bastos (28 anos), e a noiva Daniela Costa Oliveira (24 anos) no dia 4 de maio de 2002, na rua Dom Pedro II, juntamente com seu pai Dalmar Ferraz de Melo (que faleceu há alguns meses). Durante estes oito anos, a família, amigos e a classe jornalística clamavam por justiça, depois de vários julgamentos adiados.
O promotor Henry Wagner Vasconcelos foi o responsável por convencer o corpo de jurados, que unanimemente condenou Dalmar e colocar o fim neste emblemático caso. Agora, só falta a justiça colocar também atrás das grades Ricardo Athayde e seu filho Diego Athayde pelo assassinato do bailarino Igor Xavier. Outro assassinato que envergonha Montes Claros

quarta-feira, 24 de março de 2010

Falta pouco para a Unimontes ficar livre do atraso em sua direção

Falta pouco para a Unimontes ficar livre do atraso em sua direção
A parte da comunidade acadêmica representada pelos alunos não vê a hora do atual reitor da Universidade Estadual de Montes Claros (Unimontes), Paulo César de Almeida, deixar o cargo. Esse momento, que ocorrerá com a eleição para a Reitoria, é esperado como o símbolo que marcará o fim de um período de autocracia, em que a omissão às questões acadêmicas ficou evidente.
Essa fase ruim da Unimontes começou com a nomeação do ainda reitor. Na votação da comunidade acadêmica Almeida foi o último colocado da lista tríplice, mas conseguiu a indicação por fatores meramente políticos. Na ocasião, o mais votado foi o professor Itagiba de Castro. Na atual gestão, a Unimontes virou refém de interesses políticos de determinados, que usam a instituição em proveito pessoal, com a cumplicidade de Paulo César Almeida.
Contribui para a manutenção dessa situação a inexistência de representação estudantil na Unimontes. Aliás, o reitor conseguiu domesticar o movimento estudantil, que perdeu a capacidade de questionar e de lutar pelos interesses dos estudantes. Ao contrário, passou a dizer amém a todos os atos do rei(tor).
Fonte: Daqui Moc